Blog do Ricardo Lampert

Automobilismo, Futebol, Música, Cinema, Games, etc.

  • Calendário

    dezembro 2016
    D S T Q Q S S
    « out    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031
  • Localização dos visitantes

  • Estatísticas de acessos

    • 427,061 pessoas já visitaram este blog desde 13/03/2007
  • Visitantes online neste momento ?


  • This website is worth
    What is your website worth?
  • Seu IP

  • Feed para o blog do Ricardo Lampert

O que é o Grand Prix 4 ?

Desde o lançamento do primeiro da série “Grand Prix”, em 1992 para PC, foram mais de 2 milhões de unidades vendidas por todo o mundo, formando uma legião de seguidores (contando comigo !) que chega a tomar como ofensa quando chamam o “GP” de “jogo”. Essa obra de arte, cuidadosamente elaborada bit a bit pelo seu criador Geoff Crammond é muito mais do que um “game”. É um simulador !
O lançamendo do GP4 trouxe alguns novos “features” que vem reafirmar o GP4 como o melhor simulador da F1.
Talvez a maior modificação do GP4 em relação ao GP3 esteja na forma com que as 17 pistas foram modeladas. Usando equipamentos de GPS (Global Positioning Satelite) e mais de 30.000 fotografias os programadores foram capazes de conferir uma semelhança visual perfeita. Para o jogador ocasional os benefícios param por ai. Contudo, para o “piloto”, a grande novidade é o realismo “topográfico” que esta modelagem das pistas produziu, com um impacto significativo na forma de “setar” e dirigir o carro em cada cirtcuito. Esse impacto se resume em uma palavra: “cambagem”.
Curvas que antes eram “flat”, ou seja, sem nenhuma “cambagem”, ou ângulo em relação a linha do horizonte, passaram a ter sua representação real no modelo do cirtuito. Cambagens positivas ou negativas, em relação à direção da curva, causam desvios nos parâmetros de aderência, estabilidade e tração que devem ser compensados nas configurações do carro e na forma de digir (mais precisamente “atacar”, executar e sair da curva).
Para completar a modelagem dos circuitos, em algumas partes das pistas são sentidas “ondulações” na pista e as “zebras”, nas versões anteriores de tamanho, forma e textura padronizadas, agora são representadas como na pista real. Largas, estreitas, lisas ou até com “sonorizadores” (série de ondulações baixas e próximas que causam um barulho característico quando o pneu passa sobre elas).
Às visões, foi adicionada a câmera “on-board”, bem parecida com aquela que vc vê nas transmissões pela TV. Esta confere ao “piloto” uma noção bem mais real da velocidade.
Outra grande melhoria em relação a versão anterior foi na AI (Inteligência Artificial) dos pilotos CC’s. Por incrível que pareça, eles conseguiram melhorar um dos pontos mais fortes e impressionantes da série GP. Nessa nova versão os pilotos CC’s (comandados pelo computador) reagem em função da “pressão” que é exercida sobre eles. Dirigir “colado” na trazeira de um piloto inexperiente, emparelhando a cada tomada de curva, aumenta a probabilidade deste piloto incorrer em um erro de pilotagem ! (Não tente fazer isso com Michael Schumacher pois dificilmente irá funcionar). Além disso, cada piloto ganhou seu estilo próprio de pilotagem, suas próprias técnicas. Essa combinação de atributos diferentes pelos diversos pilotos criou um “universo” de situações extremamente realistas como batidas, errors de pilotagens, ultrapassagens e estratégias de “pit-stop” que não possuem paralelo em nenhum outro “jogo” ou simulador. É a simulação indo além da física dos elementos básicos envolvidos – carro e pista – atingindo o comportamento dos pilotos e, consequentemente, todo o desenrrolar da corrida.
Tudo isso somado a uma “engine” física proprietária que beira a perfeição, um cuidado “doentio” com a qualidade gráfica e com a “jogabilidade” tornam o GP4, sem dúvida, o mais próximo que uma pessoa pode chegar da experiência de pilotar um Formula 1.

Grand Prix 4

 
%d blogueiros gostam disto: